Histórias do Parque

Amor e cuidado aos animais aproximam casal no Parque del Sol

Há 11 anos, uma transferência do trabalho fez com que Margareth, filha de cearenses, trocasse o Rio de Janeiro por Fortaleza. Na capital cearense, a gestora de uma multinacional escolheu o Parque del Sol como local para fixar residência e começar uma nova vida ao lado do filho ainda pequeno.

A saudade do neto traria, pouco tempo depois, os pais e a irmã de Margareth. Família completa e dois apartamentos vizinhos, ainda sobrava amor para dedicar aos animais abandonados entre os condomínios e prédios em construção.

Desde que chegou à nova morada, ela passou a oferecer ração e consultas com veterinários aos cachorros sem lar da região, além de mediar alguns processos de adoção daqueles animais. O que ela não esperava é que, no prédio vizinho, outro cuidador se dedicava a alimentar os gatos do local. Até que foi alertada por um porteiro, seu Ozani, sobre o “rapaz” que atuava complementando o trabalho feito por ela.

De pronto, o porteiro cupido se encarregou de trocar os números dos telefones dos dois. Porém, um problema no celular de Ozania adiou o primeiro encontro. Foi necessária uma ajuda dos próprios animais para que Margareth e Eduardo cruzassem os caminhos.

Um dia, enquanto caminhava até a aula de zumba, viu um homem se aproximar dos gatos. Receosa das intenções dele, Margareth observou a cena a distância. Quando ele voltou em sua direção, também desconfiado, a boa surpresa se concretizou. Ambos buscavam o mesmo propósito: cuidar dos animais e encontrar um companheiro para a vida.

Também carioca, Eduardo era livre, sociável e cuidador de gatos. Após o emblemático encontro, começaram a namorar em 4 de outubro de 2013, no Dia dos Animais. “Ele já morava há quatro anos no Parque del Sol, mas nunca nos cruzamos. Eu digo para ele que foi o amor pelos animais que nos uniu”, ressalta Margareth, que morava no prédio Cervantes quando conheceu o homem que se tornaria seu marido.

Após decidirem morar juntos, o casal se mudou para uma casa ao lado do Parque del Sol acompanhado pelo poodle Bob e os gatos Zeca, Grace e Lili. O cachorro foi retirado de um canil clandestino, e os gatos, resgatados no próprio Parque del Sol. Muitos animais são hospedados em casa até o casal encontrar alguém especial que mereça receber um bichinho de estimação. A adoção é uma tarefa que os dois monitoram com cuidado. Os candidatos participam de entrevistas, preenchem questionários e assinam termos de compromisso.

Margareth e Eduardo não estão sozinhos. Além deles, mais de 20 pessoas fazem parte do grupo Protetores do Del Sol, que busca, por meio de vaquinhas e bazar na internet, arrecadar recursos para garantir alguns cuidados aos animais da região.

Histórias relacionadas