Histórias do Parque

A sensação de viver em uma “vila familiar”

A advogada carioca Júlia Juaçaba mudou-se para o condomínio Astúrias, no Parque del Sol, em 2012, quando se casou com o cearense João Nelson. Chegou ao local ainda indecisa se queria viver ali, após trocar o apartamento que dividia com os pais pela nova morada ao lado do companheiro. Não só gostou como fez daquele reduto uma “vila familiar”, que divide com os sogros, cunhado e tias do marido, seus novos vizinhos.

Ela explica que os pais de João Nelson foram os primeiros a chegar ao local e, inicialmente, vislumbravam fazer da compra do imóvel um investimento. Em seguida, quando decidiram viver por lá, convenceram os familiares a adquirir um imóvel no Parque del Sol. “A gente sabia que a cidade estava crescendo para esse lado, trazendo uma expansão das redes de restaurantes, escolas, serviços”, diz Júlia, justificando a decisão de se mudar para a região.

A família Juaçaba adotou o Ceará como casa há 14 anos por conta de uma transferência no trabalho do pai de Júlia, Antônio, que é militar. A ideia é que a estada em Fortaleza durasse apenas dois anos. “Mas a gente gostou tanto de morar aqui que resolvemos ficar”, relembra a advogada, acrescentando que viveu por muitos anos no bairro Meireles ao lado do pai e da mãe, Ângela. “Até fiquei resistente na época em sair do meu antigo bairro, mas hoje estou totalmente adaptada”, salienta, garantindo que não se arrependeu da escolha.

Hoje, a rotina de Júlia e João Nelson se concentra, predominantemente, nos arredores do Parque del Sol. O filho do casal, Vinícius, de três anos, estuda numa escola próxima ao apartamento da família. A sensação de morar numa “vila familiar” é ampliada pelos regulares encontros com a família, a maioria deles no restaurante que fica na pracinha do Parque del Sol. “Vez por outra nos confraternizamos no restaurante. Sempre tem a quinta do caranguejo, e acabamos nos reunindo por lá”, aponta.

Histórias relacionadas