Histórias do Parque

Uma gruta para refletir e energizar


Quando o sol ameaça esconder-se por trás dos prédios, um burburinho discreto toma a pequena gruta de pedras que fica praticamente no centro da pracinha do parque Del Sol. As paredes estão úmidas pela proximidade ao pequeno lago do pequeno zoológico que fica logo ao lado, o que deixa o ambiente ainda mais fresco. Nos espaços entre as pedras, pelo menos 33 imagens de diferentes santos pincelam um retrato da fé de quem mora nos arredores.

O que se comenta é que as imagens foram sendo deixadas ali aos poucos pelos próprios vizinhos, mas a verdade é que ninguém sabe explicar ao certo a origem do pequeno santuário que costuma reunir tantas senhoras nos seis bancos de pedra que rodeiam o espaço durante os fins de tarde para uma oração.

A gruta chama atenção até mesmo daqueles que estão ali só de passagem, fazendo um exercício físico ou acompanhando a brincadeira das crianças pela praça. É que – além das dezenas de imagens de Nossa Senhora, Padre Cícero, São Francisco e Jesus Cristo – a gruta também foi ornamentada com flores artificiais e naturais que tornam o ambiente acolhedor e tranquilo até mesmo para os menos religiosos, que costumam parar ali apenas para um momento de reflexão enquanto escutam o canto dos pássaros das árvores próximas.

Histórias relacionadas